Salada saudável
Especiarias em uns frascos
Doutor que examina a mulher grávida

Filosofia do Veganismo

De acordo com a Vegan Society:

 

Embora a dieta vegana tenha sido definida no começo da Sociedade Vegana em 1944, era apenas em 1949, quando Leslie J Cross apontou que a sociedade carecia de uma definição de veganismo. Ele sugeriu “o princípio da emancipação dos animais da exploração pelo homem”. Isto é posteriormente esclarecido como “buscar o fim do uso de animais pelo homem para alimentação, mercadorias, trabalho, caça, vivissecção e por todos os outros usos envolvendo a exploração da vida animal pelo homem”.

Quando a Vegan Society tornou-se uma instituição de caridade registrada em 1979, o Memorando e os Artigos da Associação atualizaram a definição de “veganismo” como:

 

"Uma filosofia e modo de vida que procura excluir - na medida do possível e praticável - todas as formas de exploração e crueldade contra animais, como alimentos, roupas ou qualquer outra finalidade; e, por extensão, promove o desenvolvimento e o uso de alternativas sem animais em benefício de animais, seres humanos e meio ambiente. Em termos de alimentos, denota a prática de dispensar todos os produtos derivados total ou parcialmente de animais ".

 

Saiba mais em: www.vegansociety.com

 

Por onde eu começo?

Em PRIMEIRO lugar informe-se, veganos pesquisam muito e procuram estar atualizados do que está acontecendo. Muitas vezes um produto que é vegano, pode deixar de ser, ou uma marca que testava em animais pode vir a se tornar vegana, então fique ligado.

Em SEGUNDO lugar, procure um nutricionista e faça acompanhamentos médicos. Você não pode simplesmente cortar alimentos sem pensar em reposição, como no caso da proteína animal. Estude sobre a importância da proteína e consulte um nutricionista para saber a quantidade ideal que você deve ingerir por dia. Lembre-se também que deve consumir a vitamina B12, produzida de forma sintética e em cápsula vegana.

Em TERCEIRO lugar, talvez a parte mais difícil, desenvolva um interesse profundo sobre a origem, a composição e o posicionamento das marcas de tudo que você consome. Lembres-se que ser contra exploração de animais significa não consumir ingredientes de origem animal, não incentivar eventos que lucram em cima de esforço ou sofrimento animal, assim como não compartilhar imagens e posts de animais fazendo coisas fora do natural. Um exemplo são os vídeos de cachorros andando sobre duas patas, pode parecer fofo mas na verdade o animalzinho é submetido a muito estresse e até maus tratos para aprender uma habilidade que não é essencial para a sua vida.

Em QUARTO lugar, faça tudo no seu tempo, não se cobre tanto, o importante é dar o seu melhor mesmo que seja um passo de cada vez. Trate as pessoas não veganas com respeito, pois nem todo mundo nasce vegano e cada um tem seu tempo para se encorajar nesse caminho. Sempre que quiser falar sobre o Veganismo, procure informar, contagiar e incentivar as pessoas, evite julgar e menosprezar os não veganos. Tenha paciência com estabelecimentos que não entendem a sua filosofia, mas nunca deixe de frequentar e perguntar se tem alguma adaptação ou opção vegana, pois é exatamente isso que mostra para os lugares que o público vegano está crescendo e que tem mercado para ser atendido.

Documentários e Filmes

 

Nutrição para Veganos

Você sabia que a proteína é extremamente importante para o seu organismo? Por isso você não pode deixar de consumir proteína animal sem repor corretamente a proteína necessária para o seu organismo. Esse site mostrará alguns alimentos acompanhados de tabela nutricional para facilitar o acesso a informação. Você deve procurar um NUTRICIONISTA para descobrir quanto de macros e micronutrientes deve ingerir por dia.

 

Assim como a proteína, carboidratos e gordura boa são extremamente importantes para o bom funcionamento do seu organismo. O objetivo desse site é facilitar o acesso à informação e de forma alguma substitui a importância de acompanhamento MÉDICO ou NUTRICIONAL com profissionais destas áreas.

 

Algumas Fontes de Proteína Vegetal

A proteína é um macronutriente composto basicamente por cadeias lineares de aminoácidos. Desempenha um papel indispensável no corpo humano, pois fornece material para construção e manutenção de todos os órgãos e tecidos, assim como é importante para a formação de hormônios, enzimas e anticorpos.

Proteína de Soja

Cozida, a cada 100g, tem 25g de proteína, 1g de gordura e 8g de carboidratos.

Grão de Bico

Cozido, a cada 100g, tem 19g de proteína, 2,6g de gordura e 27,4g de carboidratos.

Lentilha

Cozida, a cada 100g, tem 6,3g de proteína, 0,5g de gordura e 16,3g de carboidratos.

Feijão Carioca

Cozido, a cada 100g, tem 4,3g de proteína, 0g de gordura e 13,6g de carboidratos.

Algumas Fontes de Gordura Boa Vegana

Gorduras são fontes de energia para o corpo e cumprem também outras funções,como participar da construção das células, manter a temperatura do corpo, proteger os órgãos vitais, transportar vitaminas e compor as enzimas, hormônios e substâncias que auxiliam o sistema imunológico.

Abacate

A cada 100g, tem 1g de proteína, 14g de gordura e 8,5g de carboidratos.

Pasta de Amendoim

A cada 100g, tem 27,3g de proteína, 46,7g de gordura e 20g de carboidratos.

Nozes

A cada 100g, tem 14g de proteína, 59,4g de gordura e 18,4g de carboidratos.

Azeite de Oliva

A cada 100g, tem 0g de proteína, 100g de gordura e 0g de carboidratos.

Algumas Fontes de Carboidratos Veganos

Os carboidratos são a nossa principal fonte de energia. São também responsáveis por atividades corriqueiras como andar, correr e trabalhar. Seu consumo é vital para a nossa existência. Desempenha diversas funções em nosso organismo, entre elas a nutrição das células do sistema nervoso central.

Arroz Integral

Cozido, a cada 100g, tem 2,6g de proteína, 1g de gordura e 25,8g de carboidratos.

Aveia

A cada 100g, tem 13,9g de proteína, 3g de gordura e 66g de carboidratos.

Sêmola de Trigo Duro

Cozido, a cada 100g, tem 5,4g de proteína, 0,5g de gordura e 52g de carboidratos.

Pão Trigo e Linho

A cada 100g, tem 16,4g de proteína, 2,8g de gordura e 36g de carboidratos.

Alimentação Consciente

Agora que você já sabe alguns alimentos que são essenciais para a rotina vegana, converse com seu nutricionista sobre seus objetivos para que ele elabore as suas metas calóricas diárias. Tendo em mãos esses números, você pode utilizar um aplicativo para saber o que realmente come e se está alcançando suas metas. Um exemplo é Myfitnesspal.

Ingredientes Veganos e Não Veganos

De acordo com o site Food-Info:

 

Muitos produtos são quimicamente idênticos, então buscamos informações nos rótulos ou com os produtores sobre a origem exata. Segue a lista dos e-números e aditivos derivados de origem animal. A origem do produto pode ser de origem animal ou não, esse é especialmente o caso dos aditivos que contêm ácidos graxos, normalmente são de origem vegetal, mas a origem animal não pode ser excluída.

 

Saiba mais em: www.food-info.net

E120 | Corante Natural Carmim de Cochonilha | cor vermelha | Dactylopius coccus é um pequeno hemíptero do grupo das cochonilhas, originário do México, com apenas de 3 a 5 milímetros de comprimento corporal e coloração acastanhada ou amarela, que se alimenta parasitando a seiva de cactos.

E322 | Lecitina é a designação dada a uma mistura de glicolípidos, triglicéridos e fosfolípidos (por exemplo: fosfatidilcolina, fosfatidiletanolamina e fosfatidilinositol). Contudo, em bioquímica, o termo lecitina é, usualmente, utilizado como sinônimo de fosfatidilcolina pura - um fosfolípido que constitui o principal componente da fracção fosfatada que se obtém da gema de ovo ou de grãos de soja. A lecitina é comercializada, em elevado grau de pureza, como suplemento alimentar e para uso médico.

 

Ácidos graxos (português brasileiro) ou ácidos gordos (português europeu), quimicamente, os ácidos graxos de origem animal ou vegetal são idênticos. Portanto, a origem não tem importância para a função no alimento. Os produtores normalmente escolhem os óleos mais baratos para produzir essas gorduras, geralmente vegetal, no entanto, a possibilidade de ser animal não podem ser descartada, apenas o produtor pode confirmar as informações sobre sua origem.

E430 Estearato de polioxietileno (8) | ácido esteárico é um ácido graxo.

E431 Estearato de polioxietileno (40) | ácido esteárico é um ácido graxo. 

E432Monolaurato de polioxietileno-20-sorbitano | ácido láurico é um ácido graxo. 

E433Mono-oleato de polioxietileno-20-sorbitano | ácido oleico é um ácido graxo. 

E434 | Monopalmitato de polioxietileno-20-sorbitano | ácido palmítico é um ácido graxo. 

E435Monostearato de polioxietileno-20-sorbitano | ácido esteárico é um ácido graxo. 

E436Triestearato de polioxietileno-20-sorbitano | ácido esteárico é um ácido graxo.

 

E441Gelatina | ossos de animais.

Caseína e Caseinatouma proteína do leite de vaca.

Lactose | açúcar de leite de vaca.

Soro de leite e wheypowder  | uma fração de leite.

Ácidos gordurosos de omega-3 | de peixe, focas e soja.

E101Riboflavina (lactoflavina) | cor amarela comida. | pode ser isolado do leite, mas produzido comercialmente a partir de microrganismos. O isolamento do leite é muito caro.

 

E153Carbono | preparado a partir de carvão de madeira queimada. Antigamente era obtido de animais queimados.

 

E161g | Cantaxantina | cor preparada a partir de cogumelos ou sinteticamente de caroteno. Historicamente, também foi preparado a partir de resíduos de camarão ou penas flamejantes. Cantaxantina sintética é mais barata e tem maior pureza.

E270 | Ácido láctico e lactatos | feito por fermentação bacteriana em resíduos de açúcar (melaço). Não está presente no leite. Todos os produtos fermentados (lácteos e não lácteos) contêm ácido lático como resultado da fermentação bacteriana. Comercialmente apenas preparado a partir de açúcar.

 

E325-7 | Lactatos | Veja E270 acima.

E306, 307, 308 Tocoferóis (vitamina E) | de óleos vegetais. Também em óleos de origem animal (peixes), mas estes óleos são muito caros. Os óleos de peixe são, no entanto, usados ​​como fonte em suplementos alimentares, mas não em alimentos, devido ao sabor forte.

E375Ácido nicotínico (vitamina B3) | de levedura. A produção do fígado é muito cara.

 

E422Glicerol | parte de gordura animal e vegetal. Comercialmente feito sinteticamente a partir de petróleo.

 

E476Poliglicerolpoliolinoleato | Gordura vegetal sintética.

 

E620-5Glutamatos | comercialmente apenas feito de açúcar por fermentação bacteriana ou de algas marinhas. Teoricamente de qualquer proteína é muito caro.

E927B | Ureum | sintético. Pode ser isolado da urina, mas muito complicado e caro.

Vitamina B12 comercialmente apenas feito por fermentação bacteriana. O isolamento da carne é muito caro, devido às concentrações muito baixas.

 

Dicas de Saúde para Veganos

De acordo com o site Brasil Escola:

 

As proteínas são macromoléculas formadas pela polimerização por condensação de α-aminoácidos, que, por sua vez, são substâncias formadas por uma ligação peptídica entre um grupo amino e um grupo carboxílico, formando um grupo amida. As proteínas não são como os carboidratos que podem ser armazenados nas células, elas fazem parte da estrutura biológica. De modo que a construção e a manutenção do organismo humano dependem do fornecimento de proteínas.

 

1- Funções das proteínas

Elas têm inúmeras funções em nosso organismo, entre elas, temos:

 

a) Estrutural

As proteínas são os constituintes básicos das fibras musculares, cabelo, ossos, dentes e pele;

Exemplo: A fenilalanina é precursora da tirosina, que produz a melanina, molécula responsável pela cor dos cabelos e da pele.

 

b) Catalisadores

As enzimas catalisam as reações bioquímicas (reações intra ou extracelulares importantes que ocorrem nos animais e vegetais). Sem as enzimas, essas reações não ocorreriam num tempo hábil e a vida acabaria;

Exemplo: A anidrase carbônica é uma enzima que catalisa a reação de formação do ácido carbônico que mantém o pH do sangue constante. Por meio dessa enzima, essa reação ocorre cerca de 10 milhões de vezes mais rápido.

 

c) Reguladores do metabolismo (Hormônios)

Exemplo: A insulina é uma proteína sintetizada em nosso organismo e possui como principal função o controle dos níveis de glicose no sangue. Sua carência é um dos fatores que resultam no desenvolvimento do diabetes tipo 1 e 2.

 

d) Sistema imunológico (Anticorpos)

Exemplo: Uma classe de proteínas encontradas no plasma sanguíneo são as gamaglobulinas e entre elas estão as imunoglobulinas que ajudam a prevenir e combater infecções importantes e doenças. Em casos específicos, alguns médicos receitam injeções de gamaglobulina extraída do plasma de pessoas que já adquiriram imunidade à doença que o paciente está exposto.

2- Digestão das proteínas

Quando ingerimos alimentos que contêm proteínas, elas são quebradas durante a digestão e o organismo absorve os monômeros que as constituem, que, como já dito, são os aminoácidos. Existem inúmeros aminoácidos na natureza, mas apenas 20 estão presentes nas proteínas. O nosso organismo sintetiza alguns deles, mas 9 desses aminoácidos nós não produzimos e, por isso, eles são chamados de aminoácidos essenciais, que são: fenilalanina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, treonina, triptofano e valina.

3- Fontes de proteínas

Visto que o organismo não consegue sintetizar esses aminoácidos essenciais, nós precisamos ingeri-los por meio da alimentação.

 

As principais fontes de aminoácidos são:

 

Fontes incompletas (que não contêm todos os aminoácidos essenciais): Leguminosas como feijão, milho, lentilha, arroz, frutas e verduras.

 

Fontes completas: carne, peixes, ovos, laticínios (leite, queijo, iogurte), trigo integral, nozes, soja, germe de trigo, castanha-do-pará e amendoim.

Visto que cada alimento fornece um tipo de aminoácido, precisamos ter uma dieta bastante balanceada. Por exemplo, quando comemos feijão e arroz, o feijão fornece a lisina e o arroz fornece a metionina, que são aminoácidos importantes na síntese proteica.

 

Saiba mais em: brasilescola.uol.com.br/quimica/funcao-das-proteinas

 

São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil.